FWPS muito além das passarelas

Sim! Mais uma edição do FWPS – Fashion Weekend Plus Size foi concluída com êxito. Durante meses, 11 marcas se prepararam criando suas coleções Primavera-Verão 2018 e desfilaram em primeira mão para lojistas, imprensa, estudantes e fashionistas de plantão. O dia 27 de agosto foi movimentado no Shopping Frei Caneca. O evento contou com um salão de negócios com show room das marcas, talks com blogueiras sempre perfeita Ju Romano, a Mel Soares super antenada e ainda a estilosa Natália Nascimento. A Renata Poskus trouxe inúmeras dicas e cases para ajudar lojistas a vender mais e ainda a palestra sobre tendências para moda plus size com a Sandra Teschner editora da Profashional.

Parte da equipe de modelos que apresentaram todas as novidades – Foto: Clayton Felizardo

Mas o ponto alto foram os desfiles. Cerca de 100 modelos, de todos os cantos do Brasil, desfilaram o que vai ser hit neste verão. A cada look que entrava na passarela, o público aplaudia. Todas grifes mostraram sua personalidade e muita gente saiu de lá, já sabendo qual seria sua próxima compra. Passados alguns dias resolvi conversar com alguns gigantes que estiveram presentes, para saber o que eles acharam do evento e assim compartilhar seus pontos de vista. Afinal o evento passou, mas a moda continua.

O Rodrigo Vennon que participou pela primeira vez no FWPS, saiu com uma impressão positiva do evento e a expectativa é grande para as próximas edições. Embora ele tenha notado que a moda plus tem evoluído, ele espera mais agressividade por parte das marcas. A moda plus masculina precisa de mais visibilidade, diversidade e acessibilidade. Apesar que hoje, as possibilidades serem maiores, posso me vestir bem, estar na moda, com roupas que se enquadram no meu biotipo, alinhando conforto e prazer ao se vestir, reforça Vennon.

Amauri Silva para Afrostyle

Outro estreante do evento foi o Amauri Silva que veio incentivado pela amiga Mariana Alvarenga, também a responsável por convencê-lo a participar da seletiva de modelos para os desfiles. Mariana fez bem, pois já em sua primeira participação desfilou os lançamentos da Afrostyle e Umen. Esta última marca, segundo ele, foi responsável pela materialização do seu estilo, coisa que ele não conseguia encontrar.

Nos bastidores pude acompanhar a ansiedade do Amauri para seu primeiro trabalho como modelo, assim como o Julio César Carmo que também se surpreendeu com o evento. Ambos relataram que nunca tinham visto tanta beleza em um só lugar. Pessoas trabalhando seriamente com dedicação e amor e muita alegria, sorrindo sem discriminação e sem julgamento.

Isto são percepções que não aparecem na passarela e é fundamental para que um evento desta envergadura possa crescer ainda mais e atingir muitas outras pessoas. Tenho certeza que toda equipe envolvida no evento, produção, maquiadores, assistentes, cenotécnica, modelos estavam comprometidos para que tudo corresse da melhor forma. O investimento que as marcas fazem não é pouco e a confiança construída em 16 edições sob a competente direção da Renata Poskus, reforçam a seriedade deste negócio.

Há alguns meses o Profissão Repórter da Globo apresentou algumas histórias de gordos. Foi assim que conheci o Rogi Cezzarino, lá do Espirito Santo que

Rogi, Jordan e Matheus desfilando para Mais Pano – Foto: Adriana Libini

apareceu na matéria mostrando sua peregrinação em busca de roupas para se vestir. Semanas depois encontrei ele no evento de lançamento da Mais Pano em São Paulo. Foi convidado pela marca para desfilar alguns looks e era evidente a alegria estampada no seu rosto. Agora, estava novamente no casting do desfile que apresentou as novidades para o verão 2018 e aos 29 anos entrou na passarela usando camisa G10, vestindo uma confortável calça 70, brilhou como nunca em seu segundo desfile.

 

A relação dele com a vida é outra. Ele diz que receber o carinho de norte a sul do país, ser incentivado para não desistir e descobrir que existem vários outros “Rogi ” me motiva na desconstrução do preconceito. Hoje tenho sido a voz de muitos gordos. Sou muito grato a marca que me incluiu num mundo aonde meu tamanho não define minha roupa.

Já o Julio Cesar não tinha noção que já existiam tantas marcas dedicadas ao nosso público mais “gordinho”. Esse ano eu cheguei a comprar algumas roupas, mas em lojas tradicionais. Agora, ele reforça que comprará mais roupas, pois adorei a maneira que ela veste no nosso corpo, é realmente feita e pensada para nós.

Julio Cesar para Umen – Foto: Denise Mendys

Eu particularmente defendo que a roupa tem um papel psicológico muito grande na vida do gordo, assim como para qualquer outra pessoa. Conversando com o Rogi, ele exemplificou dizendo que as vezes quis vestir uma roupa de um tom e não encontrava no seu meu tamanho. Buscava se incluir no estilo do pessoal da sua idade mas infelizmente isso é quase impossível. Ainda contou que outro dia foi convidado para um evento temático e o abadá veio menor e acabou deixando de se divertir e ficou em casa já que não se sentiria bem com uma roupa apertada. Ele complementa afirmando que a roupa transmite seus sentimentos, porém é difícil transmitir eles sendo gordo, ainda há limitação no mundo da moda.

Mas graças a empreendedores que já enxergaram o potencial deste mercado, essa realidade está mudando. O Amauri se arriscou em mandar uma mensagem para quem está desanimado com o mundo da moda:

– Pode ficar feliz por que com certeza  as coisas mudaram, porque tem pessoas que lutam há tempos para nos atender bem. Que trabalham para nos devolver alegria de poder vestir a roupa que quiser, não importando nosso tamanho, para elevar nossa auto estima. Bem vindo ao seu sonho de achar roupas maravilhosas sem constrangimento, sem preocupações! Seja bem vindo ao mundo plus size!

Marcela Oliveira e Humberto para Reizz – Foto: Adriana Libini

Também preciso dizer que fiquei muito feliz em participar de mais esta edição da Fashion Weekend Plus Size e perceber que a evolução está acontecendo e melhor de tudo é que tem muito por vir. Este não é o unico evento plus size no Brasil. Em São Paulo mesmo, as edições do Pop Plus fervilham de pessoas querendo novidades. Na capital carioca o Hashtag Bazar, mensalmente aproxima pessoas de marcas e lojas, com produtos inéditos. Porto Alegre, Curitiba e muitas outras cidades tem suas versões locais, o que demonstra que a participação do mercado de moda plus size, vai muito além das passarelas.

Cristian Pior do Panico na Band com Felipe Campus

Marcelo, Labate e Felipe concedendo entrevista

Humberto usando Reizz, Otávio e Isaquiel vestindo Afrostyle, nos bastidores

Sei que você deve estar curioso para saber o que foi sucesso nas passarelas, então fique ligado na fanpage que prepararei álbuns específicos das marcas masculinas para você conferir tudo por lá! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *